Você arrisca dizer quais são os 3 grandes erros que causam o desgaste excessivo dos pneus do caminhão? Descubra agora mesmo!

A troca de pneus do caminhão tira qualquer transportador do sério, não é mesmo? Afinal, os custos com pneus é superalto e comprometem um percentual significativo do faturamento da empresa.

E ninguém é doido de permitir que o caminhão siga rodando com os pneus sem as condições mínimas de estar na estrada! O desgaste compromete a segurança do motorista e da carga, podendo ocasionar deslizes e a perda de controle da direção.

Se você já perdeu a paciência com as trocas constantes de pneus, não deixe de ler sobre os 3 grandes erros no desgaste excessivo dos pneus do caminhão. Ele foi escrito pensando em casos como o seu!

1. Andar com os pneus do caminhão em baixa pressão

Pneus do caminhão em baixa pressão e a estrada não combinam — ao menos não deveriam! Nesse estado, os pneus sobrecarregam o sistema de direção e ainda aumentam o consumo de combustível. A pressão abaixo do que é recomendado pelo fabricante é um dos grandes erros que colocam o caminhão em risco, pois aumenta bastante a resistência à rodagem dos pneus.

Não é só os gastos com o caminhão que aumentam, a pressão baixa nos pneus causa maior fadiga da carcaça, gerando desgaste prematuro. O resultado? Na maioria das vezes, isso impossibilita até mesmo a recapagem. Por outro lado, a pressão alta pode ocasionar aderência menor do pneu ao chão — ambos os casos colocam a segurança do motorista e do veículo em risco.

O lance aqui é conferir a pressão dos pneus do caminhão com frequência, tornando a medida um hábito. Na hora em que os pneus estiverem "frios", o que ocorre geralmente pela manhã (dependendo dos horários do motorista), é o melhor momento para calibrá-los.

De acordo com a Michelin, a pressão de 20% abaixo da recomendada aumenta o consumo em 1,7% no transporte de longa distância.

2. A condução do caminhão feita de forma errada

A falha humana é outro grande problema relacionado ao tempo de vida útil dos pneus do caminhão. Os hábitos e os costumes de cada motorista influencia no desgaste excessivo e na durabilidade dos pneus.

Profissionais que não prestam atenção nos buracos e obstáculos que as estradas reservam, certamente encaram atritos que prejudicam os pneus. Podem, inclusive, causarem danos irreversíveis!

Outro erro é a direção em alta velocidade, que causa o flexionamento excessivo da carcaça, o superaquecimento dos pneus do caminhão e o desgaste acelerado. Além disso, fazer curvas em alta velocidade força o arraste dos pneus e ainda causa um desgaste maior no ombro do motorista.

Um treinamento de direção defensiva é uma boa saída!

3. Não fazer o balanceamento e alinhamento na hora certa

Ao rodar desalinhado, o caminhão sofre um desgaste irregular nos pneus mais intenso, comprometendo o seu rendimento e a segurança do motorista. Neste caso, é necessário ficar atento às perdas maiores de tração, na troca de pneus e quando houver a substituição dos componentes de suspensão.

O recomendado é que a cada 10 mil Km rodados, se faça o balanceamento das rodas. E se for necessário, o rodízio dos pneus, que também é uma medida recomendada e que nem todo mundo presta atenção.

 

O desgaste excessivo dos pneus do caminhão é uma verdadeira dor de cabeça para todos os transportadores. Aliás, para quem fica atento aos 3 erros apresentados neste post e não os comete, as chances de uma vida útil dos pneus é bem maior.

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp
Fechar Menu