O mapa de riscos é um item primordial para a segurança da empresa. Aprenda agora como fazer!

O mapa de riscos é uma maneira eficiente de agir na prevenção de acidentes. Nele são apontados de modo claro e objetivo os riscos que o ambiente de trabalho pode apresentar, que nesse caso, é voltado para a estrada e determinados ambientes recorrentes do transporte.

Para ter uma visão abrangente dos riscos da empresa, é necessário que se realize um estudo aprofundado do negócio, obtendo um parâmetro dos perigos existentes em cada setor, moldando uma gestão eficiente da empresa.

E você, deseja aprender como fazer um mapa de riscos para sua empresa? Confira abaixo as nossas dicas!

Como é feito o mapa de riscos?

Para começar, você vai precisar de algumas informações, por isso, a nossa sugestão é seguir um checklist que contenha itens como:

  • Reunir as informações necessárias para identificar a situação de segurança e saúde no setor de transporte de sua empresa;
  • Informar e incentivar a equipe a participar de ações de prevenção;
  • Conhecer a fundo o processo do transporte de cargas;
  • Identificar os riscos presentes na estrada;
  • Apontar as medidas preventivas que podem ser adotadas;
  • Descobrir quais são as queixas entre os motoristas;
  • O número de trabalhadores expostos aos riscos;
  • Especificar a razão do risco, se é químico, ergonômico, biológico ou de acidentes.

Checklist realizado, é hora de organizar! Para começar, vamos te mostrar um modelo de mapa, para que você consiga entender com clareza as etapas de produção do mapa de risco:

Mapa de riscos
Fonte: Blog Segurança no Trabalho NWN

Hora de produzir!

Conheça agora as etapas recomendadas para produzir um mapa de riscos eficiente. Vamos lá!

Separe em círculos

Você já deve ter notado a presença de círculos no modelo de mapa utilizado para ilustrar. Os círculos servem para diferenciar o grau de perigo na área analisada. Posicione o círculo na área desejada, indicando a intensidade do risco existente naquele local.

Subdivida através de cores

As cores irão diferenciar o tipo de risco submetido pela área demarcada no mapa. Produza uma legenda apontando que tipo de risco cada cor representa e em seguida aponte o tamanho do círculo para definir a intensidade do mesmo.

Para entender de forma prática, você pode conferir no modelo representado acima, que indica através das legendas posicionadas na parte inferior do mapa o que cada cor representa.

Os grupos de risco

Entre os grupos de risco, que serão representados pelas cores estão os riscos físicos, químicos, biológicos, ergonômicos ou de acidentes.

Nos riscos físicos destacam-se fatores como vibração, radiação, frio, calor, pressão incomum e umidade. Já nos riscos químicos estão incluídos condições como poeira, fumo, neblina, gases, vapor e produtos químicos em geral. Com os riscos biológicos incluem-se vírus, bactérias, fungos, bacilos e parasitas em geral.

Aplicando os riscos ergonômicos no segmento do transporte é importante ressaltar o esforço físico intenso, levantamento e transporte manual de peso. Tudo isso submetido a um controle severo de produtividade, cobrança de aumento de ritmo, trabalho com turno estendido, incluindo o período noturno, repetitividade e outras situações geradoras de estresse psicológico e físico.

No grupo dos acidentes estão inclusos fatores como arranjo físico inapropriado, ausência de determinados equipamentos de segurança, iluminação imprópria, risco de incêndios ou explosões, animais peçonhentos, armazenamento inadequado, falha mecânica do veículo, fatores adversos na estrada, entre outras possíveis causas de acidente.

Por que investir em um mapa de riscos?

Por mais que seja algo aparentemente trabalhoso, produzir um mapa de riscos faz seu tempo valer muito a pena. Além de ser um material obrigatório, contribui muito para a redução de acidentes de trabalho.

Inclusive, segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho), acontecem em média 700 mil casos de acidente anualmente no Brasil, isso sem contar aqueles que não são registrados formalmente. Além disso, de acordo com o Ministério da Previdência, o país gasta em média 70 bilhões de reais por ano com incidentes como esses.

Se você investir nesse recurso todo mundo ganha: o seu funcionário recebe uma garantia, sua empresa se livra de possíveis dores de cabeça e o próprio país retribui com a redução de gastos. Conscientize-se e previna todos de situações indesejadas!

Para compreender melhor as razões nas quais você precisa investir nesse recurso, confira também o conteúdo: Gerenciamento de riscos: o que é e por que é tão importante no transporte de cargas.

Quem pode fazer o mapa de riscos?

A produção do mapa de riscos deve ser feito por uma equipe especializada no assunto. Caso sua empresa não possua um setor interno responsável por isso, o recomendado é procurar por uma empresa de consultoria terceirizada.

Além de tudo isso, ao final será necessária a aprovação da CIPA e em seguida o mapa deve ser exposto ao setor analisado, de maneira que possa ser conferido pelos funcionários envolvidos.

Esse conteúdo foi útil para você? Continue acompanhando nossos conteúdos novos, eles saem semanalmente aqui no blog. Até logo!

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp

SAIBA O QUE A FABET PODE FAZER POR VOCÊ!



Fechar Menu